Usando linguagem simples para expandir acessibilidade das notícias


Um pouco mais da metade da população mundial tem habilidades de alfabetização ruins ou muito baixas, o que torna impossível entender textos longos e densos, segundo um estudo recente da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

"A maioria dos jornais é escrita no nível 3 a 5", disse Walburga Fröhlich, CEO da organização sem fins lucrativos austríaca Atempo. Ela se referiu à pesquisa de 2016 em larga escala realizada pela organização econômica intergovernamental, que distinguiu seis níveis de proficiência em leitura. "Uns 54% dos adultos em todo o mundo não são capazes de entender e ler notícias de qualidade", acrescentou ela, observando que os pesquisadores da OCDE descobriram que essa porcentagem de adultos é capaz de entender textos até o nível 2.

Por LINDA A. THOMPSON no IJNET

Como resultado, muitas pessoas recorrem a sites que produzem desinformação e histórias manipuladoras e sensacionalistas para seu consumo de notícias, precisamente porque foram escritas em linguagem simples e fácil de entender, disse Fröhlich. Essas publicações provocam raiva e ressentimento entre seus leitores contra o establishment, explicou, ligando o crescente apelo de líderes populistas em todo o mundo à incapacidade de metade da população mundial de entender artigos de agências de notícias estabelecidas.

"É um grande problema para pessoas com deficiências, mas o problema é maior [...] porque muitas pessoas não conseguem entender notícias de qualidade e, quando não entendem, se sentem manipuladas", disse ela.

A Atempo pretende acabar com a manifestação local desta lacuna de informação global na Áustria há dois anos, apresentando um panorama geral de notícias em alemão claro e fácil de entender.

Como um negócio com uma missão social, a Atempo queria garantir o maior alcance e impacto possíveis desde o início. No verão de 2017, eles contataram a Austria Presse Agentur (APA), para ver se estavam interessados ​​em colaborar em um produto de notícias de linguagem fácil. A APA fornece notícias para a emissora pública nacional, a Österreichischer Rundfunk (ORF) e para uma dezena de jornais do país.

Seis meses depois, a APA concordou.

Inicialmente, a Atempo modificou as reportagens escritas por repórteres da APA em matérias fáceis de entender. Depois de ser treinado pela Atempo no verão de 2018, os próprios funcionários da APA começaram a modificar as matérias.

Este panorama geral de notícias diárias em alemão simples, chamada TopEasy, funciona hoje muito bem. Dois jornalistas da APA começam suas manhãs traduzindo as principais matérias do dia em dois níveis de idioma: um exigindo habilidades de linguagem elementares, o outro um nível intermediário de alemão.

A agência de notícias austríaca então distribui as matérias aos jornais locais, que são livres para usá-las no início da tarde. Também enviam as histórias para mais de 100 ONGs locais na forma de um boletim informativo e as enviam para o serviço de teletexto da emissora pública ORF, bem como para o próprio aplicativo da Atempo, o Capito. O alcance do aplicativo cresceu exponencialmente, de 3.000 usuários mensais no lançamento em 2018 para 130.000 usuários em fevereiro deste ano.

Setenta a 80% do orçamento da TopEasy vem do Ministério Austríaco de Assuntos Sociais, com o restante coberto pela APA. O dinheiro de impostos do ministério foi fundamental para a lançar a TopEasy, disse Christian Kneil, chefe do departamento de multimídia da APA.

"Sem esse financiamento, não teríamos feito isso", disse ele. Permite que a TopEasy forneça gratuitamente para as mídias locais a visão geral das notícias em linguagem fácil.

“Este é um dos pontos-chave: você tem que financiar este projeto; a mídia não é tão facilmente convencida a pagar por isso”, acrescentou. Ele recomendou que as organizações de notícias interessadas em criar algo como a TopEasy tentassem obter financiamento de outra fonte.

Kneil também aconselhou os veículos de notícias a se prepararem para críticas e, mais importante, para se manterem firmes. “Você tem que não ser reservado; tem que ser corajoso”, disse ele. “Na Áustria, vemos que muitos jornais estão preocupados com as reações do público quando oferecem notícias em linguagem fácil”, disse ele. As matérias em alemão simples se destacam das notícias tradicionais como um peixe fora d'água, de acordo com Kneil.

“Os editores nos dizem: 'Nossa audiência é inteligente; nós não precisamos disso”, ele explicou, acrescentando que as organizações de notícias devem antecipar tais críticas comunicando o valor de oferecer notícias em linguagem simples para seus funcionários e seus leitores desde o início. "Isto é muito importante: que o público entenda por que essa oferta é tão importante”, disse ele.

Para Kneil, há uma relação entre a oferta de notícias fáceis de entender e o aumento da participação política. “O que sabemos é que se eles têm mais informações, eles entendem, votam mais e fazem parte do processo político”. Ele apontou que habilidades de alfabetização ruins podem brotar de dificuldades de aprendizagem, idade avançada, baixa escolaridade, ou porque leitores cresceram falando uma língua diferente.

Até o momento, três dos 12 jornais para os quais a APA fornece notícias estão incorporando as matérias da TopEasy em seus sites.

Fröhlich, enquanto isso, sugeriu que as organizações de notícias interessadas em oferecer matérias em linguagem simples se unissem. "Se eles cooperarem, podem divulgar muito mais informações e dar muito mais notícias a todas as pessoas", disse ela, observando que é um desperdício de recursos para várias agências de notícias traduzir as mesmas principais notícias que dominam as manchetes.

Ela também aconselhou os veículos de notícias a não subestimar a habilidade necessária para traduzir matérias em linguagem simples e buscar treinamento adequado. Os jornalistas muitas vezes pensam que escrevem histórias fáceis de entender quando, na verdade, não o fazem, disse Fröhlich.

"Eles realmente têm que aprender e treinar", disse ela.

As agências de notícias também devem colocar o conteúdo em linguagem simples, para que os leitores possam encontrá-lo facilmente, acrescentou Fröhlich.

Imagem principal sob licença CC no Unsplash via Kevin Grieve

FONTE:

https://ijnet.org/pt-br/story/usando-linguagem-simples-para-expandir-acessibilidade-das-not%C3%ADcias

Links de Notícias