50 Ways To Make Media Pay


O What's New in Publishing preparou uma série muito legal sobre como gerar receita com o jornalismo. As publicações agora foram compiladas no relatório "50 Ways To Make Media Pay" (faça o donwload gratuito e leia em inglês). Das 50, separei as 7 que, particularmente, acho mais interessantes:

1) Paywall de verticais: Acesso pago autônomo a seções específicas. Para alguns publishers, essa abordagem pode ser uma boa opção para seções como esportes ou outro conteúdo especializado, que possui uma grande audiência composta por usuários muito apaixonados. O New York Times aproveita esse modelo para alguns de seus novos produtos. Por exemplo, o NYT Cooking custa US $ 5,00 a cada quatro semana, ou US $ 40 por ano. Além disso, o The Times Crossword está disponível por US $ 6,95 por mês, ou US $ 39,95 por ano.

2) Assinaturas corporativas: Comprar coletivas são mais baratas que individuais somadas. O Wall Streed Journal, por exemplo, oferece descontos corporativos especiais em vendas para dez funcionários ou mais.

3) Micropagamentos: Sistemas de micropagamento permitem que os leitores consumam seu conteúdo uma notícia de cada vez. Blendle, uma startup de jornalismo da Holanda, e o autoproclamado “iTunes das notícias”, é talvez o mais conhecido defensor desse modelo. Em parceria com todos os principais publishers holandeses, o público paga apenas pelo que lê. E se um artigo não estiver à altura ou o que você esperava, o Blendle oferece uma garantia de devolução do dinheiro.

4) Eventos para segmentos de mercado: Um número cada vez maior de publishers hospeda atividades com um foco principal em redes e conhecimento da indústria. Estes eventos geram conteúdo, oferecem oportunidades para conhecer profissionais com a mesma opinião, e, por sua vez, também geram receita. O maior evento da Recode, sua conferência anual de três dias, se intitula "a conferência de tecnologia de primeira linha do mundo”. Oferecendo encontros com alguns dos maiores nomes do Vale do Silício e do mundo da tecnologia, o evento é super-exclusivo. Não somente os convites custam milhares de dólares, a participação também é cuidadosamente controlada. A compra de ingressos é disponibilizada apenas para convidados.

5) Newsletters: A plataforma proporciona diversas estratégias de monetização, variando desde o patrocínio de conteúdo (por exemplo, a parceria entre a Mozilla e a NextDraft), até anúncios de banners pagos e o papel que desempenham como uma ferramenta de geração de leads.

6) Pesquisa e análises: Skift é um site que se descreve como “Definindo o futuro da viagem. Notícias da indústria global de viagens, análise e dados sobre viagens on-line, companhias aéreas, hotéis, turismo, agentes, tours, startups, tech, e etc”, combina com sucesso notícias, newsletters e eventos, com trabalhos de pesquisa detalhados. Prometendo 50 novos relatórios todos os anos e com 125 relatórios em sua biblioteca, a equipe produz relatórios semestrais sobre tópicos como "A nova era do turismo alimentar: tendências e melhores práticas para stakeholders" e "O Setor Aéreo dos EUA: Estimativas de Pesquisa Skift 2019". Os relatórios custam de US $ 50 para um pequeno e-book sobre na Amazon até US $ 695 para relatórios mais detalhados, como o "Digital Advertising Trends in Travel 7) Membros ("membership"): O modelo de associação cresceu indiscutivelmente por várias razões, muitas vezes misturando potencial de receita com a oportunidade de
construir vínculos mais estreitos entre a redação (e as equipes de desenvolvimento de negócios) e os próprios membros da comunidade.

FONTE:

https://pages.services/info.sovrn.com/50-ways-to-make-media-pay/

Links de Notícias